Debatendo o uso da fosfoetanolamina – OAB-GO

Debatendo o uso da fosfoetanolamina – OAB-GO

A audiência pública na OAB-GO está bastante acalorada. Está sendo uma grande fonte de informação para os presentes. Esse debate deveria ser expandido para toda a sociedade. Além do debate jurídico e médico, estamos presenciando o depoimento dos familiares que tiveram grandes resultados com o uso da substância.

Entre as críticas ao uso estão a acusação de liberação por pressão da mídia, por manipulação das classes mais baixas, fazendo o Congresso Nacional aprovar “lei populista” sem o devido cuidado.

Particularmente, sou contrário a essa tese, visto que grandes empresas de mídia, como a Globo, se posicionaram contra a fosfoetanolamina, dedicando muitas reportagens alertando para os “efeitos colaterais da substância”. A representante da Fosfoetanolamina Sintética em Goiás lembrou que é preciso consumir pelo menos 10% do próprio peso para o compromisso da fosfo fazer algum efeito colateral.

Outro defensor informou que produtos cancerígenos, como o cigarro, e produtos sem os devidos estudos, como agrotóxicos, são liberados para uso e prejudicam até outros além dos usuários dos produtos. Já o fosfoetanolamina sintética não causa câncer e não prejudica pessoas que não tomam a droga.
OPINIÃO

Levo em consideração as opiniões contrárias mas sou a favor da fosfoetanolamina sintética pelos estudos apresentados pelos pesquisadores aqui presentes (sim, existem pesquisas), pelo testemunho daqueles que saíram do estado terminal para a remissão da doença e, assim, por não ver motivos para sua proibição.

Indústrias que exploram pessoas existem, é fato, e estou convencido de que o Câncer, no Brasil, faz parte dessa indústria.